hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início
22-Fev-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 358 - 2ª quinzena de fevereiro/2019
        
Image
Curta-nos, siga-nos
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Login





Esqueceu a senha?
Sem conta? Criar Conta!
Estatísticas
Visitas: 5424463
Difusão de Notícias
Flash de Notícias

Apartir de agora estará disponiveis para downloads as Edições do Jornal do Brás em pdf, para que o internauta leia na integra o nosso jornal. Entre na seção de Edições do menu principal.

Caso não tenha um leitor de PDF, entre em www.adobe.com e baixe a última versão do Adobe Reader.

Webmaster

 
O encanto e os segredos das flores
Classificação: / 0
21-Fev-2019


 

Vanilson Araújo

 

O sol é de grande importância para a vida das flores e das plantas, pois contém nutrientes que contribuem com o desenvolvimento saudável e natural dos vegetais, principalmente no verão, que segundo o paisagista e florista Ivo de Oliveira,  é a estação que mais favorece as flores plantadas em jardins, não só por causa do calor, mas também por conta da água da chuva. “Para o jardim é ótimo, fica todo florido porque está chovendo e com sol isso ajuda bastante”, explica o paisagista e florista Ivo de Oliveira Araújo da floricultura Fruto Verde.  

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ImageDas flores que se adaptam ao verão, o girassol se destaca pela sua conexão com o sol, já que sempre amanhece voltada para a luz solar, no leste, à medida que as horas passam, a flor segue a luz até oeste, durante a noite o caule gira de volta para o leste, reiniciando o ciclo. Essa dinâmica impulsiona a evolução e crescimento do girassol dando-lhe mais vida, realçando suas cores amarelas e tons alaranjados além de potencializar o aroma que atrai abelhas e insetos polinizadores, tornando o jardim mais belo e encantador. 

Para o paisagista Ivo, o contato com as flores traz harmonia e tranquilidade. “A gente fala que muda muito o ambiente, o local de trabalho com plantas fica mais alegre, traz vários benefícios para saúde, alivia o estresse e o ambiente fica mais agradável. Um vaso de flor ou de planta alegra e muda qualquer ambiente”. 

 

Cuidados especiais

Porém, em dias quentes de verão, é preciso tomar cuidados especiais, principalmente com as flores de corte e as que são plantadas em vasos que não podem ficar muito tempo expostas ao sol. “O ideal é tirar do sol intenso e deixar só na claridade se for de vaso e não deixar faltar água porque tem flor que não é resistente ao sol, e até flor que é do sol pleno, tem que tomar cuidado, não pode esquecer de regar todos os dias”. Para não perder o brilho e a vitalidade, o correto é regar duas vezes ao dia, nas primeiras horas ao amanhecer e no fim da tarde, aconselha o paisagista em entrevista para o Jornal do Brás. 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image Rosas mais procuradas

No entanto, o dono da floricultura declara que mesmo exigindo um cuidado maior por conta do verão, as rosas são as mais procuradas. “Rosas, é a mais vendida o ano inteiro, mesmo com corte e menos durabilidade, principalmente em épocas comemorativas, como no Dia das Mães, Dia dos Namorados, mas no Dia Internacional da Mulher é a data que mais vende Rosas e Orquídeas”. 

Ivo convive com paisagens de jardim e arranjos de flores, desde a adolescência aos 15 anos de idade. O interesse surgiu por influência do irmão mais velho que já trabalhava no ramo. A floricultura Fruto Verde foi aberta pela família no dia 25 de outubro de 1999 na Serra da Cantareira. Ivo visitava a casa dos clientes para fazer o jardim, até que recebeu um convite para fazer um trabalho em uma escolinha no Pari, região central de São Paulo, e viu no bairro uma oportunidade melhor de aumentar a clientela, então se mudou no ano de 2007. 

Hoje, além da Fruto Verde localizada na rua Cachoeira, 1506 no bairro do Pari, ele e a família possuem duas filiais no bairro do Jaçanã zona norte de São Paulo e outra na cidade de Atibaia-SP. Fone: 2081-0043.


 
Cinco anos sem o Arnesto do Brás
Classificação: / 0
21-Fev-2019


Ele morava na rua Tagi, Mooca, bem na divisa com o Brás, e ficou imortalizado na canção de Adoniran Barbosa, “Samba do Arnesto”. Ernesto Paulelli, falecia há cinco anos, em 26 de fevereiro de 2014, aos 99 anos.

Ernesto inspirou Adoniran Barbosa a compor o “Samba do Arnesto”, em 1938. Aos 60 anos se formou em Direito, exercendo a profissão por cerca de 30 anos. Foi violonista e engraxate, auxiliando seu pai que era sapateiro, além de ter sido vendedor de chuchu e trabalhado no jogo do bicho. Tocou violão em diversas cantinas da Capital. Até 1922, residiu no Brás, tendo mudado posteriormente para a Mooca.

Fica aqui o nosso registro e homenagem, de uma das maiores lendas do Brás, que marcava presença em nossos Jantares anuais – sendo homenageado com o Troféu Jornal do Brás, e também nas festas de aniversário do Brás, bem como nas Tardes de Chá.

Image

 

 

 

Ernesto Paulelli

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

Adoniran Barbosa

 

 

 

 

 

 

 

Samba fica na história

Letra e música de Adoniran Barbosa

O Arnesto nos convidô prum samba, ele mora no Brás 
Nóis fumo e não encontremos ninguém
Nóis vortemo cuma baita duma réiva
Da outra veiz nóis num vai mais
Nóis não semos tatu!
Outro dia encontremo com o Arnesto
Que pidiu descurpa mais nóis não aceitemos
Isso não se faz, Arnesto, nóis não se importa
Mais você devia ter ponhado um recado na porta
Ansim: "ói, turma, num deu pra esperá
A vez que isso num tem importância, num faz má
Depois que nóis vai, depois que nóis vorta
Assinado em cruz porque não sei escrever”. Arnesto

 

 
Uma História do Carnaval
Classificação: / 0
21-Fev-2019


O seu advento começa com festas populares surgidas há 10.000 anos A.C, na Grécia Antiga e Antiga Roma

ImageAntão Ouriques de Farias

 

A origem do Carnaval surgiu na realidade, em celebrações antigas na Grécia e Roma, em meados dos anos 600 e 520 A.C. Eram grandes comemorações com comidas e bebidas e as buscas incessantes pelo prazer. Na Antiga Roma, o período da festa chegava a durar 7 dias.

A Grécia Antiga também tinha seu carnaval. As festas eram um culto a Dionísio. Conta a lenda que a divindade circulava pela Ásia Menor, até que pelas mãos do sacerdote Melampo, introduziu-se nas terras gregas, conforme as plantações de parreiras que se espalhavam pelas ilhas gregas. Já em Roma, em homenagem aos deuses Saturno e Lupércio, se comemoravam nos tribunais e escolas, que fechavam as portas quando as pessoas saíam às ruas para dançar. A euforia era geral. Carros alegóricos em formato de navio saíam nas “avenidas” com homens e mulheres nus. Eram chamados de “Carrum Navalis”. Foi aí que surgiu a expressão Carnaval.

 

Prazeres da carne

Nas festas pagãs, o fortalecimento do seu poder. A Igreja não era de acordo a esse sistema, não via com bons olhos, esse comportamento nas festas. No Cristianismo, havia crítica da inversão das oposições sociais, pois a sociedade invertia os papéis de cada um nas boas normas. Se invertia a relação entre Deus e o demônio. Então a sociedade aceitava o bom comportamento, um divertimento sadio, uma maneira sadia de se realizar uma festa de um divertimento que todas as famílias pudessem fazer parte. A Igreja Católica admitia as boas normas. Essa foi a razão da Igreja discordar.

No Brasil, o Carnaval foi trazido pelos europeus. Pernambuco e Rio de Janeiro estão entre as maiores festas de Carnaval do mundo, além do Carnaval de Veneza, Itália, de de Nova Orleans (EUA) – Mardi Gras, e de Barranquilla, Colômbia.

O Carnaval no Brasil, 1750

O Carnaval com suas raízes na Babilônia através das comemorações Saceias. Nessa festa concedia-se a um prisioneiro a figura do rei, no templo do deus Marduk. O Carnaval chegou ao Brasil no século XVIII pelos portugueses, com o entrudo. Entrou por Pernambuco chegando ao Rio de Janeiro, com as festas de salões e corsos. O Recife deu início ao Carnaval de Rua. No Rio, as Escolas de Samba e os blocos carnavalescos, atualmente é o maior Carnaval do Brasil.

O Carnaval do Brasil tem tradição nas letras e músicas de grandes compositoras e compositores.

As primeiras letras musicais carnavalescas foram a de Chiquinha Gonzaga em 1899 – “Ó Abre-Alas”. No século XX, “Pelo Telefone”, letra e música dele, Donga. E tem ainda “O Teu Cabelo Não Nega” de Lamartine Babo, não esquecendo o grande Capiba, o maior compositor carnavalesco do Recife e muitos outros compositores brasileiros. Outra grande cantora, Carmen Miranda, com a música “Taí – Pra Você Gostar de Mim”, em 1930.

Antão Ouriques de Farias, católico praticante, é escritor, historiador e pesquisador.

Image

 

 

 

 

Carnaval de Nova Orleans. Foto: JBKC/Shutterstock.com

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

Carmen Miranda

 

 

 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Próximo > Final >>

Resultados 5 - 8 de 5337
Enquete
Que lugar é o símbolo do Brás?
 
Usuários On-line
Temos 7 visitantes on-line
Utilidades Públicas
Fones da Região
Subprefeituras
Poupatempo
Busca CEP
Links Úteis
Parceiros

Image











Image


 



Image 

 

 

 

 

Image

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

Image

 

 

 

Image

 
Top! Top!