hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 180 seta Política com “P” maiúsculo
05-Jul-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 385 - 2ª quinzena de abril/2020
Image                                      

Jornal do Belém Ed 2 - 12/03/2020
Image  
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 8170625
Política com “P” maiúsculo PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
26-Mar-2010

*Paulo H. De Paula

Se subiu, ninguém sabe, ninguém viu...

(Um “passeio” por Brasília e Câmara Municipal de São Paulo)

 

Lembram dela? Magistralmente interpretada pelo idolatrado Cayubi Peixoto, Conceição, a moça do morro que “tentando a subida desceu” e trilhou caminhos estranhos... Um samba fantástico, inesquecível sucesso de todos os tempos !

Mas... o que isso tem  a ver com política?

É o seguinte: só o ínclito presidente da República , sr. Luiz Inácio Lula da Silva, internacionalmente conhecido,  afirmou que “as imagens não falam por si só“, quando perguntado sobre o episódio “Arruda Panetonegate”.

Foi em dezembro passado, ocasião em que  todo mundo viu políticos guardando dinheiro de propina nos bolsos, meias, cuecas além daquela excelentíssima senhora  deputada colocando dinheiro da sua “propinazinha” na bolsa. Embora o primeiro mandatário desta nossa sofrida nação tenha expressado esclarecida opinião sobre o acontecido que, ao contrário da Conceição, todo mundo viu, a Justiça, Poder independente, está agindo no sentido de restabelecer procedimentos decentes que preservem a boa governabilidade do Distrito Federal. Pode até ocorrer intervenção federal no DF. Pelo menos é o que defende o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, e justifica: “A Procuradoria tem absoluta consciência de quanto a intervenção é um instrumento traumático, radical que só se aplica em casos excepcionais. O que entendemos, entretanto, é que estamos vivendo um dos raríssimos casos em que a intervenção é cabível, em razão de termos os poderes Legislativo e Executivo do DF sem condições mínimas de exercer adequadamente suas atribuições”.

 

Enquanto isso...

 

 

Aqui, na “Paulicéia Desvairada”, o prefeito Kassab, sua vice Alda Marco Antonio e mais 24 vereadores à Câmara Municipal de São Paulo foram cassados e continuam exercendo o mandato em razão de efeito suspensivo da sentença, até julgamento do mérito. Quer dizer: todos estão sub judice.

A Câmara Municipal de São Paulo é integrada por 55 “excelências” das quais 24 foram cassadas e continuam no exercício do mandato em razão de recursos acolhidos, mas, destaque-se, estão, como já dissemos, sub judice. O procurador eleitoral de São Paulo, Luiz Carlos Santos, recomendou a cassação de 16 vereadores que já haviam sido cassados em outubro do ano passado, em parecer entregue em janeiro deste ano. Os outros 8 que completam a leva de 24, foram cassados agora em 22 de  fevereiro. Pouco depois, em 26 de fevereiro, o juiz eleitoral reconsiderou a cassação do vereador Italo Cardoso: ele “só” teria recebido 15 vírgula qualquer coisa por cento da  AIB!

Então ficamos com “apenas” 23 cassados, olha que bom !!!!

Todos, inclusive o prefeito e a vice, são acusados de receber dinheiro para a campanha de 2008, de empreiteiras, bancos e uma tal de AIB, associação de fachada do Sindicato da  habitação, o Secovi.

ImageEntre os cassados está ninguém menos que o líder do prefeito na Câmara Municipal de São Paulo, o vereador José Police Neto que, alias, é o autor do projeto de lei do IPTU progressivo; também o engenheiro e vereador Domingos Dissei, cujos familiares são titulares de poderosa construtora, responsável por numerosas torres, prédios, principalmente no bairro do Ipiranga; além de todos os outros vereadores que tiveram seus respectivos diplomas cassados. Eles também defendem legítimos interesses.

No entanto a atuação, votando leis que acabam beneficiando conglomerados de empreiteiras, construtoras, “secovis” da vida e etc., pode arranhar a moralidade e deixar um viés de suspeição na lisura de suas condutas Mais ainda, do quanto trabalham efetivamente para atender aos interesses da população desta nossa  cidade, ou se  para ganhar mais dinheiro enchendo os próprios bolsos e das “empresas amigas” que financiam suas campanhas. Até porque, com raras e honrosas exceções, nenhum deles têm bandeira ou defendem claramente uma causa: todos são vaga e demagogicamente a favor de tudo...

 

O Carnaval acabou (ou não ?). Vamos colaborar, vamos cobrar do Congresso a análise e aprovação do Projeto “Ficha Limpa”. É um jeito de, se não acabar, pelo menos atenuar a possibilidade de ação dos sempre mesmos oportunistas. Em paralelo, reforma eleitoral urgente.  De positivo, fica o registro da iniciativa moralizadora da Justiça, de um modo geral, e a expectativa de que os recentes flagrantes dessas “sacanagens”, desestimulem, pelo menos um pouquinho, novos ou velhos farsantes da política que, ao final, deveria ser exercida com “P” maiúsculo e em benefício da população !

 

*Paulo H.De Paula – MTB 9.148 é Jornalista e Diretor de Marketing do Jornal do Brás

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!