hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 385 seta As Pandemias na História Mundial
01-Jun-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 385 - 2ª quinzena de abril/2020
Image                                      

Jornal do Belém Ed 2 - 12/03/2020
Image  
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7979356
Flash de Notícias

A partir de agora estarão disponiveis para downloads as Edições do Jornal do Brás e do Jornal do Belém em pdf, para que o internauta leia na íntegra os nossos jornais. Entre na seção de Edições Jornal do Brás e Edições Jornal do Belém do menu principal.

Caso não tenha um leitor de PDF, entre em www.adobe.com e baixe a última versão do Adobe Reader.

Webmaster

 
As Pandemias na História Mundial PDF
Classificação: / 1
FracoBom 
27-Abr-2020


Pandemia do Coronavírus é a segunda no século XXI e a 4ª mortal da história

Segundo a Organizacão Mundial de Saúde - OMS, uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. O termo é utilizado quando uma epidemia - grande surto que afeta uma região - se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.
Não é a gravidade da doença que a define como pandemia, mas a sua disseminação geográfica.
O vírus do Coronavírus surgiu na cidade chinesa de Wuhan em 31 de dezembro de 2019 e a causa mais provável seria o consumo de sopa morcego e carne de cobra pelos moradores da cidade. Outras fontes, porém, sem prova qualquer, informam que o vírus foi fabricado em laboratório chinês.
A primeira pandemia neste século XXI foi a Influenza (H1N1), surgida em 2009.

Origem da H1N1
A gripe Influenza (H1N1) se originou do contato dos humanos com criações de porcos nos EUA e Canadá.
A OMS declarou como pandemia a H1N1 (Influenza). Estudos científicos mostram que o vírus da Gripe Suína (Influenza A ou H1N1), tenha infectado cerca de 1 bilhão de pessoas. Em 16 meses de pandemia, foram mais de 493.000 casos confirmados, e 18.600 mortes pelo H1N1 no mundo.
No Brasil foram quase 60.000 casos confirmados de Gripe Suína e pouco mais de 2.100 mortes, nos anos de 2009 e 2010. Em 2016, voltou a matar 1.774 pessoas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

Gripe Espanhola alastrou-se em 1918
Como curiosidade lembramos que há 100 anos, entre 1918 e 1920, o mundo enfrentou a pandemia da Gripe Espanhola que matou 50 milhões de pessoas em todo o mundo, e infectou 500 milhões, sendo a pior pandemia do século XX.

Assim como a Gripe Suína nasceu nos Estados Unidos e numa fazenda de porcos do Canadá, também a Gripe Espanhola teria surgido nos Estados Unidos, em campos de treinamento militar. Isso porque os primeiros casos da doença também foram registrados lá. Esses casos aconteceram em trabalhadores de uma fábrica em Detroit e em soldados instalados em um campo militar no estado do Kansas.
Entretanto, apesar de chamar-se Gripe Espanhola, o início da pandemia nada tem a ver com a Espanha.
Passou a ser chamada de Gripe Espanhola porque a Espanha não estava envolvida com a 1ª Guerra Mundial, e não houve portanto, a necessidade de censurar a sua imprensa. Por isso a imprensa espanhola deu larga divulgação ao alastramento da gripe que teria surgido nos Estados Unidos e, assim, as notícias sobre a enfermidade espalharam-se a partir do que a imprensa espanhola noticiava. Foi por essa razão que a pandemia recebeu o nome de Gripe Espanhola.
Aqui no Brasil, ela chegou em setembro de 1918, espalhando-se por todas as regiões do país e causando a morte de mais de 35.000 brasileiros.
Detalhe: a Gripe Espanhola matou o então presidente eleito do Brasil, Rodrigues Alves, em 1919.

Peste Negra entre 1343 e 1353
A Peste Negra durou dez anos, de 1343 a 1353. Nesse período tirou a vida — de acordo com aferições muito provavelmente incertas — de entre 75 a 200 milhões de homens, mulheres e crianças da Europa e Ásia.
São números com certeza imprecisos. Não se pode cravar com exatidão sequer a população do planeta naquela época. Mas são os cálculos que a história registra.

Varíola
A doença atormentou a humanidade por mais de 3000 anos.

Cerca de 300 milhões teriam morrido, de 1896 a 1980. O faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “bixiga”. O vírus Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa para pessoa, por meio das vias respiratórias. Os sintomas eram febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto.
A varíola foi erradicada do planeta em 1980, após campanha de vacinação em massa.

Epidemias em São Paulo
1564 - primeira epidemia de varíola. De 1561 a 1564 aproximadamente 30.000 índios faleceram.

1893 - epidemia de cólera - 53 mortes. A incidência preferencial: estrangeiros. Aproxima-se do padrão observado na cidade do Rio de Janeiro, no mesmo período, onde 88% das mortes por febre amarela ocorridas entre 1890 e 1903 também foram de estrangeiros, num total de 23.000 óbitos.
1918 - Gripe espanhola - resultou entre 116.000 e 350.000 infectados, cerca de 5.000 mortes no Estado de São Paulo, 35.000 no Brasil.
1971 a 1974 - Estado de São Paulo - Epidemia de meningite: 20.000 casos com cerca de 2.000 mortes. 

 

 

Image

 

 

 

 

Gripe Espanhola

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

Anúncio do governo na época da gripe espanhola informava dicas de prevenção ao povo, semelhantes às atuais

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!