hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 384 seta Minha autobiografia para o livro das colunas do Jornal do Brás
01-Jun-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 385 - 2ª quinzena de abril/2020
Image                                      

Jornal do Belém Ed 2 - 12/03/2020
Image  
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7979562
Flash de Notícias

A partir de agora estarão disponiveis para downloads as Edições do Jornal do Brás e do Jornal do Belém em pdf, para que o internauta leia na íntegra os nossos jornais. Entre na seção de Edições Jornal do Brás e Edições Jornal do Belém do menu principal.

Caso não tenha um leitor de PDF, entre em www.adobe.com e baixe a última versão do Adobe Reader.

Webmaster

 
Minha autobiografia para o livro das colunas do Jornal do Brás PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
09-Abr-2020
Image


Antão Ouriques de Farias

São rastros da história de um menino de fazenda do Riacho do Padre.

Aos horizontes da capital bandeirante, terra do padre Anchieta, São Paulo,

Antão Ouriques de Farias nasceu em 3 de abril de 1926, na fazenda Riacho do Padre, município de São João do Cariri, atual Gurjão, Paraíba. Filho de João Antão de Farias e Francisca Ouriques de Farias.

Aos 18 anos com inspirações para novos horizontes, foi para Picuí, Paraíba, casa do seu tio Samuel Antão de Farias aprender com seu primo, Evaldo Agra de Farias Alfaíde, músico e coletor estadual.

Em abril de 1947, fui instalar alfaiataria e camisaria em Recife, onde enfrentei barreiras, até ficar conhecido. Depois tudo foi normalizado em 1949, e contraí matrimônio com Isaura Ferreira Neves. Do matrimônio, nasceram três filhos, João, Samuel e José Antão, este faleceu aos 3 meses. Em 1955, a minha esposa adoeceu, o médico me aconselhou mudar de clima, melhor, menos calor. Eu escolhi Campina Grande, por ser cidade serrana. Lá estabeleci-me com camisaria e calçados. Em 1963, minha esposa faleceu.

Em 1965, contraí matrimônio com Laura Catão, desse matrimônio nasceram Verônica e Dione. Reiniciei o ginásio, concluindo em 1968.

Em 1969, vim para São Paulo, para o ramo de representação comercial, com o fim de continuar os estudos. Fiz o colegial dos 42 aos 45 anos. Em 1971, fiz o vestibular de Direito, aos 49 anos. Concluindo, fiz os estágios de Direito, me preparando para Concurso de Juiz, não consegui pelo grau da idade, 52 anos. Na época, montei uma pequena indústria de metais, fivelas e botões, a Fibotões. Montei lojas de aviamentos, assessórios para vestuários, que mantenho até o presente com Samuel meu filho.

Em 1987 filiei-me ao PMDB e em 1990 me candidatei a deputado federal, faltando poucos votos para me eleger na suplência de 1991 a 1994. Na mesma época fiz o curso de Governante na Escola de Governo do Estado de São Paulo -IPESP.

Estudei teclado na Escola Diocesana de Música de Guarulhos, de 2002 a 2005. Fiz um trabalho musical com 5 composições minhas e 5 do cantor João Miguel.

Em 2005, por indicação do Dr Daniel Duarte fui nomeado para o Instituto Histórico e Geográfico do Cariri Paraibano, sócio efetivo na cadeira do Capitão Mor Teodósio de Oliveira Ledo.

Em breve será lançado livro com todas as minhas colunas do Jornal do Brás. Sobre as matérias históricas e religiosas.

Sou sócio remido da Confederação Brasileira de Jornalismo (Genebra) desde 16 de fevereiro de 1986, número 1092. Compositor registrado na Sicam - Sociedade Independente de Compositores e Autores Musicais, número 2094.

 

Antão Ouriques de Farias, ministro da Comunhão Eucarística, é escritor, historiador e pesquisador, cronista e poeta lírico.

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!