hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 179 seta Lixo das ruas vai para as fábricas reciclado
21-Nov-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 374 - 1ª quinzena de novembro/2019
Image                          

Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 6834215
Lixo das ruas vai para as fábricas reciclado PDF
Classificação: / 1
FracoBom 
15-Out-2009
Image

Tem sido comum fiscais da Prefeitura vistoriarem o comércio do Brás e lacrarem firmas constituídas que trabalham com produtos recicláveis.

Segundo a própria Prefeitura, embora sejam microempresas legais perante o fisco, não se concede alvarás para esse tipo de comércio.

Ocorre que, trabalho é trabalho, os carroceiros precisam ganhar o pão e ao mesmo tempo tiram o lixo das ruas, vendendo-o às firmas de reciclagem e, estas, por sua vez, separam o plástico do pano e do papel, embalando e repassando para indústrias. O plástico é transformado em grãos, o papel derretido para mil fins e os retalhos de pano são usados em outras mil utilidades, como estopa, tapetes, esfregões, acolchoamento de sofás, bancos de carros, e enfim, ao que se destina.

Como o Brás é Brás de problemas com o lixo sem fim, impõe-se que as autoridades sejam condescendentes com a questão, encontrando um meio para facilitar o trabalho dessas microempresas que no todo somam centenas de famílias que precisam trabalhar, de acordo com a própria cartilha do MEI.

 

Todos precisam trabalhar

Wesley trabalha há três anos com reciclagem no Brás. “As lojas jogam o lixo nas ruas do Brás e nós pegamos o material”, diz ele. Ele é em seguida reciclado. E com isso ajudam na limpeza do bairro.

Ele trabalha com plástico e pano. “Com o pano, fazemos tapete, estopa e enchimento”, conta. O destino deste material são as fábricas de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Parte do material é comprado dos carroceiros, acrescenta Wesley. O material é muito bem separado antes de ser reciclado.

Com o plástico, pega-se o grão para se fazer, por exemplo, sacola de mercado. O plástico mole, diz ele, serve para embalagem.

A quantidade de material que chega por dia no local varia muito, explica. Seis pessoas garantem o sustento de suas famílias com este trabalho.

Wesley finaliza dizendo que o estofamento do banco de carro também é feito com os restos de pano.

 

Image

 

Wesley faz o lixo ser usado em mil utilidades

 

 

 

 

Image

 

Rodrigo embala os produtos separados

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!