hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 372 seta Curiosidades
23-Out-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 373 - 2ª quinzena de outubro/2019
Image                         

Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 6696607
Flash de Notícias

Todo 1º domingo do mês, o Movimento Poético de São Paulo faz sarau no Parque do Piqueri

 
Curiosidades PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
07-Out-2019
Image


 A origem do Conto do Vigário 

 

Tudo aconteceu no " Concelho do Ribatejo" no Sul de Portugal, com um pequeno lavrador e negociante de Gado, chamado " MANUEL PERES VIGÁRIO" ! Isso em tempos históricos.

Chegou uma vez ao pé dele certo fabricante ilegal de notas falsas e lhe disse: "SR. VIGÁRIO " Tenho umas notas de Cem Mil Reis que me falta passa-las, o Sr. as quer ? eu as dou por Vinte Mil Réis cada uma, mas o VIGÁRIO não as quiz, mas fez uma contra-proposta de Vinte Notas a Dez Mil Réis cada uma.

Passados uns dias, o VIGÁRIO tinha que pagar a compra de uns gados e pelo valor de Dez Mil Réis e foram-se encontrar numa TABERNA e como o "MANUEL PERES VIGÁRIO" sentou-se ao lado deles e pediu um vinho e em seguida começou a pagar a dívida e puxou da Carteira notas de Cinquenta mil Réis, e os Irmãos viram na Carteira as Notas de Cem Mil Réis e não notaram as de Cinquenta Mil Réis, receberam e guardaram no bolso sem verificar as Notas pagas, achando que o VIGÁRIO estava pagando com notas de CEM MIL RÉIS.

O Vigário pediu mais vinho e depois pela bebedeira, disse que queria um RECIBO, pois que queria as coisas certas, os irmãos aceitaram e ele acabou ditando os dizeres do Recibo, que na TABERNA, tal dia e tal hora tinha pago a quantia de UM CONTO DE RÉIS em notas de Cinquenta Mil Réis e o Recibo foi datado, selado e foi assinado e o VIGARIO o meteu no bolso e foi-se embora.

Quando os irmãos foram outro dia pagar uma dívida, ao entregar uma nota, a mesma lhes foi devolvida, pois era falsa só no olhar e que eles não notaram ao receber as notas de Cinquenta Mil Reais falsas, posto que, olharam a carteira com Notas de Cem Mil Reais de propósito aberta e achando que o VIGÁRIO iria lhes pagar as de CEM MIL REAIS da carteira e não repararam que o Vigário estava pagando com as notas de CINQUENTA MIL RÉIS Falsas e não as de CEM MIL RÉIS  e estava feita a "VIGARISSE" !

Os irmãos queixaram-se à Polícia, e então ele apresentou os Recibos e assim sendo que e como era de Justiça foi mandado embora em Paz. O Caso, porém, não pode ficar secreto e se espalhou.

A História do "MANUEL PERES VIGÁRIO" não ficou secreta e aos poucos se espalhou e passou abreviada para ser imortalizada e um pouco esquecida de sua origem, porém, ficou eternizada em PORTUGAL e depois ficou na Colonização Portuguesa no Brasil e no Império Brasileiro e afinal nos tempos Republicanos até hoje,  como :

                "O   C O N T O   DO   V I G Á R I O ! ! 

                (O mestre Fernando Pessoa também chegou a contar essa História toda).

Adriano Augusto da Costa Filho, nasceu no Brás, foi ponta-esquerda camisa 11 do Esporte Clube Estrela do Pari com credencial de 1954, é Poeta, Jornalista e Escritor e presidente do Conselho Fiscal e Consultivo da Federação Paulista de Tênis.

 

 

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!