hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 364 seta Brás, à imagem e semelhança do Brasil !
24-Jun-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 365 - 2ª quinzena de junho/2019
Image               

Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 6034726
Brás, à imagem e semelhança do Brasil ! PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
07-Jun-2019

Image

 

Emidio Severo*

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ImageA imagem do Brasil não é a periferia, nem a Av. Paulista, nem os jardins. Para representar o Brasil tem que ser a síntese de tudo que existe de norte a sul. Este lugar se chama B R Á S, pois abriga riqueza, pobreza, mármore carrara, granito, pedra, terra, lama e esgoto. Abriga Judeus, Árabes, Chineses, Japoneses, Italianos, Coreanos, Lituanos, Portugueses, Espanhóis, Haitianos, Africanos, Bolivianos e inúmeras outras nacionalidades. Todos trabalhadores. Gente que pega no batente, transitando e trabalhando ferozmente. Tem os nordestinos, mineiros, nortistas, sulistas, paraíbas, pernambucos, cearás, cariocas e paulistas. Até o batedor de carteira vira trabalhador quando a polícia chega. O Brás é essa síntese num só lugar. Tem história e tradição. Foi o berço de Adoniran Barbosa, moradia de Monteiro lobato e até do Glamour de tempos outrora. Tem o Catavento, o Museu da Imigração, o Metrô, CPTM, a feirinha da madrugada e o Largo da Concórdia. Se fosse um munícipio seria uma cidade do porte de Aparecida (com uns 40 mil habitantes) mas que em feriados recebe mais de 1 milhão de pessoas num único dia. A grande maioria é de compradores para revenda de produtos em suas cidades pelo interior do país. Quem não conhece uma "sacoleira" do Brás em qualquer recanto do país? As ruas lotadas de gente que vai e que volta, que compra e que gasta e que corre e que busca mercadorias mais baratas. E que acha. É uma ponta de estoque, é um camelô, é a feirinha da Madrugada, é o Largo da Concórdia ou os baixos do viaduto. Tem para todo gosto. Tem peças para fogão, artigos para feirantes, madeiras, portas, espumas, couro, jeans, têxteis, produtos de armarinhos e tudo o que você possa imaginar e o bolso possa comprar. Mas o campeão é o Têxtil. Tem vestido, bermudas, calçados, jeans, tecidos, gravatas, biquinis, cuecas, meias, roupas de cama, mesa e banho, panos de prato, tapetes, toneladas de tecidos, espumas, madeira, couros...ufa! chega acabar o fôlego! A 25 de março e o Mercadão Municipal estão ao lado. Ali se compra até o bacalhau de duzentos reais o quilo. Mas também o sanduiche de mortadela, o bolinho de carne e a coxinha a 5 reais. Tem a Zona Cerealista a Maria Marcolina, Joli, Rio Bonito, Emidio Piedade, Silva Teles, Oriente, Gasômetro, Rangel Pestana, Bresser, Hipódromo e Celso Garcia. Quem andar pelo miolo do bairro se surpreenderá com imensas garagens de ônibus de turismo que rasgam o Brasil inteiro de Norte a Sul e até a América do Sul. Tem casas de câmbio, agências de Turismo, fábricas de produtos de luxo, tudo como em qualquer cidade rica. Mas tem também a manjubinha esparramada pelo chão, Jabá, jerimum, cachaça, boliviana fritando "porco picado" na banha, e tudo o que você imaginar. Tem até uma filial do INSS, mas sem grande movimento, pois o povo dali nem se lembra que existe esse negócio de bolsa família ou aposentadoria. Afinal, uma simples sacoleira fatura para mais de 3 meses de bolsa família, num único mês ou num único dia. Tem até residências pelo bairro, com moradores que nasceram ali e não saem por dinheiro algum, pois estão perto de tudo e dizem que só sairão dali para o cemitério da quarta parada que fica pertinho. Rezam e oram nos Templos da Rangel Pestana. Afinal estão ao lado da Mooca, próximo ao centro e ao alcance de tudo. Casas simpáticas, prédios simples, grandes armazéns, magníficos galpões e imensas lojas. Ruas limpas, ruas sujas, produtos populares, mercadorias de rico, comidas típicas e shoppings Centers tudo junto e misturado, ou seja: este é Brasil ideal que deveríamos ver de norte a sul! Afinal são mais de 10 mil empresas, 200.000 funcionários, 1 milhão de turistas por dia e um PIB anual de 10 bilhões. É maior do que muitos estados ou até de alguns países. Parabéns ao Bairro do Brás pelos seus 201 anos. 

*Dr Emidio Severo é Advogado há 40 anos, inscrito na OAB-SP sob n° 58.098. Tem especialização em Direito Civil, Trabalhista, Empresarial e Imobiliário

 

 

 

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!