hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 362 seta Cinemas lembram passado glorioso no Brás
21-Out-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 372 - 1ª quinzena de outubro/2019
Image                        

Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 6683483
Flash de Notícias

Caro Internauta, continuamos a disponibilizar nossas edições em PDF publicamente e para receber nossas novidades é só fazer o cadastro clicando aqui assim será sempre avisado de nossos conteúdos e eventos.

 att,

 Equipe Jornal do Brás

 
Cinemas lembram passado glorioso no Brás PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
10-Mai-2019

Eduardo Martellotta

 

Dentro das comemorações Brás 201 Anos, o bairro lembra o passado romântico, boêmio e brejeiro em que existiram famosos cinemas, principalmente no corredor Rangel Pestana-Celso Garcia e entorno. Nesses locais, aconteciam os “footings” e a vida noturna na região era agitada. Conheça os principais cinemas que fizeram história no bairro:

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ImageCine Piratininga – Localizado na avenida Rangel Pestana, 1.540, o “O Maior Cinema do Brasil” comportava 4.313 lugares e sua inauguração deu-se em 26 de março de 1943. No programa inaugural, “Boêmios Errantes”, com Spencer Tracy, e “Nas Asas da Glória”, com Chester Morris. O projeto foi do arquiteto Rino Levi. A plateia abrigava 2.607 lugares e havia um balcão e frisas laterais com 1.706 espectadores.

Hoje abriga um estacionamento.

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ImageCine Universo – Projetado em 1936 também por Rino Levi e inaugurado em 8 de abril de 1939, cujo filme inaugural foi “Noites Andaluzas”, de Herbert Maisch, com Imperio Argentina e Friedrich Benfer, o Universo ficava na avenida Celso Garcia, 378, e tinha 4.365 assentos (era conhecido como “O Maior Cinema da América do Sul”).

No centro do teto da sala de projeções havia uma abertura móvel que permitia a rápida renovação de ar e a eventual visão parcial do céu estrelado durante o espetáculo.

Virou uma galeria de lojas.

 

 

Image

Cine Teatro Oberdan – Com inauguração dia 5 de abril de 1929, o Oberdan ficava em majestoso prédio à rua Ministro Firmino Whitaker, esquina com a Saião Lobato – hoje é a loja Zelo. Tinha 1.260 assentos. Ficou famoso pela maior tragédia infantil de São Paulo, em 10 de abril de 1938, durante o filme “Criminosos do Ar”, quando morreram 31 pessoas pisoteadas, destas, 30 crianças. O filme mostrava dois aviões chocando-se no ar, quando alguém da plateia gritou “Fogo!”, estopim para que se iniciasse uma correria desesperada para fugir da sala. A versão da polícia na época para a origem dessa correria é que um menino havia passado mal e cansado de esperar o lanterninha, para entrar no banheiro, ateou fogo em alguns jornais.

 

 

Image

Cine Roxy – Aberto a 4 de janeiro de 1940 na avenida Celso Garcia, 499, o Roxy, também em majestosa fachada, apresentou em sua estreia, o “Música, Divina Música!” de Archie Mayo, com o violinista Jascha Heifetz, Joel McCrea, Andrea Leeds, Gene Reynolds e Walter Brennan e “Romance na Floresta” de Charles Vidor, com Charles Bickford e Jean Parker.

Era conhecido como “O Cine da Elegância” e “A Maravilha da Cidade”. Do Roxy também só restam lembranças. Foi demolido em 1984 para a construção da Igreja Universal do Reino de Deus.

 

 

 

 

 

 

 

Cine Braz – Ficava na avenida Rangel Pestana, 2.079. Sua inauguração foi em 24 de julho de 1952 com “Cyrano de Bergerac”, com José Ferrer e “Força contra Astúcia”, com Joan Leslie. Antes fora denominado Cine Babylonia. Sua última sessão ocorreu em 20 de novembro de 1960.

 

 

Image

Braz-Polytheama – O Cine-Teatro Braz-Polytheama teve sua inauguração ocorrida em 2 de junho de 1922 mas sua primeira matiné aconteceu dois dias depois. No programa inaugural, a sinfonia “Guarani” de Carlos Gomes, executada por uma orquestra de 20 professores, regida pelo maestro Giovanni Gemme, além do filme “Os Cavalheiros da Noite”, da Fox-Film Corporation. Na segunda parte, foi exibida a opereta “A Princesa das Czardas”, executada pela companhia Léa Candini.

O Braz-Polytheama ficava na av. Celso Garcia, 53 (atual 223), e possuía frisas, camarotes e balcão.

 

 

 

 

 

 

Image

Cine Glória – Então localizado na rua do Gasômetro, 47 (atual 235), tinha capacidade para 1.360 lugares (plateia – 1.020, camarotes – 220 e balcões – 120) e foi inaugurado em 13 de março de 1927, reinaugurado em 14 de janeiro de 1952, depois de uma grande reforma e renovação dos aparelhos de som e projeção. O Cine Glória funcionou até 18 de outubro de 1970. Em seu lugar, está a loja Madel de portas e janelas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros cinemas

Image

Cine Savoy – Rua Mendes Junior, 711. Inauguração: 23/11/1950. Tinha 834 lugares e na década de 1970 passou a funcionar como Cine Roma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Brás Bijou – Av. Rangel Pestana, 148. Inauguração: 4/12/1910. Antes, era chamado de Joly Theatre. Uma curiosidade é que nos intervalos, apresentavam-se cantoras populares. Também foi chamado de Braz Cine.

Bruni Brás – Av. Celso Garcia, 609 (atual Templo de Salomão, nº 605). Inauguração: 3/8/1964. Capacidade: 800 lugares. Filme inaugural: “A Pantera Cor-de-Rosa”, da United Artists.

 

Fontes: http://salasdecinemadesp2.blogspot.com e site São Paulo Antiga – www.saopauloantiga.com.br

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!