hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 352 seta Brás amplia segurança
19-Nov-2018
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 352 - 1ª quinzena de novembro/2018
Image    

Curta-nos, siga-nos
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 5025452
Flash de Notícias

Caro Internauta, continuamos a disponibilizar nossas edições em PDF publicamente e para receber nossas novidades é só fazer o cadastro clicando aqui assim terá sempre avisado de nossos conteúdos e eventos.

 att,

 Equipe Jornal do Brás

 
Brás amplia segurança PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
07-Nov-2018


3ª Cia ganha moderna Sala de Vídeo com mais de 200 câmeras

 

Image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ImageEm entrevista ao Jornal do Brás, dia 19 de outubro último, o comandante da 3ª Cia do 13º BPM/M, capitão Rodrigo Forner, informou que a Região Brás/Pari está segura para receber milhões de pessoas de outras cidades e outros Estados do Brasil nessa época do ano até o Natal, que vêm fazer suas compras.

“As pessoas podem vir fazer suas compras com segurança”, ressaltou Forner. A 3ª Cia, disse ele, tem feito reuniões com o cel Cangerana do Comando de Policiamento da Capital – CPC, para implantação de ações pontuais na região, aos sábados e terças-feiras, quando o Brás e Pari recebem maior número de compradores, e também na Zona Cerealista. “Nesses dois dias, teremos operações até o final do ano. Nos outros dias, teremos um reforço do policiamento com motocicletas, bikes e a pé”.

O capitão Forner comentou na entrevista as operações em andamento. Uma delas é a Prevenção Primária Volante – PPV, desde 12 de outubro, com o objetivo de aproximar a população que visita o bairro, da Polícia Militar. “Atingir aquelas pessoas que estão desatentas em relação a correntinhas, celular, carteira, dinheiro e sacolas”. Ele informou que na região, a maioria das ocorrências é o furto desses objetos. Também ocorrem muitas ´saidinhas´ de banco, acrescentou o cmt.

O PPV, criado pelo CPA/M-1, foi iniciado, a princípio, em locais com maior aglomeração de pessoas (Estação Brás da CPTM, Largo da Concórdia e ruas Oriente e Barão de Ladário), mas será expandido para o Pari, Canindé e a famosa rua das Noivas – rua São Caetano. “As pessoas gostam dessa aproximação, se sentem mais protegidas”, observou Forner. Às terças e quintas-feiras à tarde e aos sábados pela manhã, policiais da 3ª Cia deixam nas mãos do povo informativos com Dicas de Segurança nas Compras, no Celular, e na Residência.

“Também pedimos para fazerem uma foto com a gente. As crianças ficam maravilhadas e gostam muito dos desenhos nos informativos”, disse o cmt da 3ª Cia. Os informativos foram impressos com a parceria da CPTM, do Metrô e de comerciantes da região (Lojão do Brás, Azulão Feira da Madrugada e Bivik).  As bases Largo da Concórdia e Pari também têm os informativos, completou.

Vizinhança Solidária

Outra operação na região, iniciada no começo do ano, é a Vizinhança Solidária, em mais de 100 ruas. Nela, as pessoas estão em contato direto com a polícia. “Se tornam responsáveis pela segurança de sua vizinhança, rua ou comércio”. Há placas e faixas afixadas no comércio, em residências e condomínios informando a existência do programa, impedindo a ação de assaltantes, e reuniões são feitas com os participantes. Há ainda o grupo no WhatsApp. A 3ª Cia utiliza uma viatura no programa.

 

Salas de Vídeo

Mas talvez a mais importante operação seja a Sala de Vídeo Monitoramento, inaugurada em julho na 3ª Cia, que conta com mais de 200 câmeras da Região Brás/Pari, inclusive do City Câmeras. O capitão Forner quer agora expandir a tecnologia, e deseja ter à disposição zoom para identificação de rostos ou placas de veículo.

“Temos feito um trabalho de prevenção e detenção muito bom em conjunto com o Dr Eder, graças às câmeras”, informou ele. O capitão Rodrigo Forner e o Dr Eder Pereira e Silva, delegado titular do 12º DP, ambos são presidentes natos do Conseg Brás/Pari, que faz suas reuniões toda última terça-feira de cada mês, na Faculdade Cantareira.

Filas no Corredor Rangel-Celso Garcia

A expectativa é que a Região Brás/Pari receba no final do ano de 2,5 a 3 milhões de pessoas por dia, informou o capitão Forner, o que irá trazer muitos transtornos no corredor Rangel Pestana-Celso Garcia, que desde julho ganhou mão dupla para carros de passeio, no sentido bairro-centro, além da faixa de ônibus já existente. A 3ª Cia tem dado atenção especial ao corredor. “Fica uma grande fila de ônibus, o que atrapalha a visão das viaturas na calçada”.

Ele disse ainda que os motoristas de ônibus estão andando mais devagar. O problema é que as pessoas atravessam correndo na frente do ônibus. Forner citou, entre elas, ladrões de correntinha, pessoas de idade ou apressados que querem pegar o coletivo do outro lado da avenida. Porém, ressaltou que faz muito tempo que o corredor não registra atropelamentos.

Finalizando a entrevista, o capitão Forner, há 3 anos na 3ª Cia, informou que está se preparando para ser promovido a major, mas que pretende continuar um bom tempo na companhia. “Tenho muito carinho pela região, gosto muito do Brás e Pari”, disse ele.

 

 

Image

 

 

 

 

Prevenção Primária Volante no Brás

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

Africanos no Centro e Brás

 

Ainda na entrevista ao Jornal do Brás, o cmt da 3ª Cia, capitão Rodrigo Forner, exibiu estudo apresentado pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco – APMBB, sobre a presença de imigrantes africanos na Região Central. Com base em informações compiladas pelo CONARE – Comitê Nacional para os Refugiados em 2016 e 2017, existem mais de 5.000 refugiados, sendo a maior quantidade de angolanos, seguidos de senegaleses e nigerianos.

A pesquisa mostra que eles residem, em sua maioria, nos Baixos do Glicério e vêm trabalhar no comércio ambulante do Brás.

O número de haitianos, por sua vez vindos da América Central, não foi divulgado ainda. A presença de ambos no Brás é explicada pela grande procura dos compradores por produtos baratos no bairro. “Não temos controle e a tendência é aumentar cada vez mais”, explicou o comandante da Companhia PM Brás/Pari.

 

 

 

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!