hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 323 seta Teatro Colombo lembra epopeias do Brás
21-Mar-2019
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 359 - 1ª e 2ª quinzenas de março/2019
Image         

Curta-nos, siga-nos
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 5549205
Teatro Colombo lembra epopeias do Brás PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
20-Jul-2017
Image


Bicentenário 8/6/2018 

 

 

Eduardo Martellotta

 

ImageInaugurado festivamente em 19 de fevereiro de 1908 na então Praça da Concórdia pela Companhia Dramática Italiana do ator Bognese, com a peça “Maria Antonieta”, de Giacometti, o Teatro Colombo traz lembranças do Brás romântico e boêmio.

Antes se ser construído, o lugar era ocupado por um mercado (construção de 1897), o que leva a supor que o Largo da Concórdia serviu, durante algum tempo, de local receptor de produtos agrícolas produzidos pelas chácaras do Brás, bairro pioneiro na implantação das primeiras feiras livres.

Até o ano de 1966 o Colombo foi o “teatro do Brás”, único no gênero, tradicional e querido por todos, abrigando companhias nacionais e estrangeiras, particularmente italianas, que encontravam sempre um público entusiasta e amigo. De acordo com descrição de Alfredo Moreira Pinto, o prédio do Teatro Colombo era “quadrangular, tendo no centro um pátio com chafariz e dos lados casas de negócios. Todo rodeado de duas galerias interiores, com madeiramento em forma de xadrez, com quatro portas de entrada e quarenta e oito janelas”. Já adaptado, o teatro comportava 1.968 lugares distribuídos em 39 camarotes com cinco lugares cada um, 24 frisas com cinco lugares cada uma, além de 750 cadeiras na plateia, três arquibancadas com 216 lugares cada uma e mais 260 lugares em pé nas duas filas atrás das arquibancadas.

 

Incêndio consome o teatro

Mas 1966 se transformou no mais trágico de sua história. Em virtude de sua construção antiga e já bastante avariada, o Departamento de Cultura da Prefeitura o havia desocupado. Eis que um violento incêndio destruiu o velho casarão no Largo da Concórdia. Era o dia 19 de julho de 1966. Os jornais da época noticiaram o triste incêndio. Há quem diga que o teatro não se incendiou, mas que foi incendiado pelas autoridades públicas que cogitavam a sua demolição, já que, com o abandono, não permitiam que o espaço voltasse a funcionar.

Jamais o Brás voltou a ter um teatro desse porte, desaparecendo um dos raros locais de lazer e cultura do bairro. Restavam os inúmeros cinemas na região, tema de outro capítulo. Em nossa próxima edição, a história das Porteiras do Brás outrora “Porteiras da Inglesa”.

Image

 

 

 

 

19 de julho de 1966. Um incêndio destruía o Teatro Colombo, dando fim a um dos melhores lugares de lazer e cultura do Brás



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!