hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 309 seta Natal tem pontos de referência no Brás
10-Abr-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 384 - 1ª quinzena de abril/2020
Image                                     

Jornal do Belém Ed 2 - 12/03/2020
Image  
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7644620
Natal tem pontos de referência no Brás PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
05-Dez-2016


Rubino de Oliveira - Catedrático do Direito

Eduardo Martellotta

 

José Rubino de Oliveira dá nome a famosa rua do Brás, bem ao lado da então agitada estação dos bondes da CMTC. Ele nasceu em Sorocaba em 24 de agosto de 1837. Terminou o primário e depois de ter adotado a profissão de seleiro, veio para São Paulo e graças à sua inteligência e força de vontade, matriculou-se no Seminário Episcopal decidido a abraçar a carreira Eclesiástica. Após quatro anos de estudos abandonou os estudos e resolveu ingressar na Faculdade de Direito. Conseguiu o seu intento em 1864 e recebeu o grau de bacharel em 1868 e o de doutor em 1869. Como católico convicto manteve polêmicas notáveis com os protestantes, mudando-se em 1871 para Atibaia, onde pretendia advogar. Voltou para São Paulo e submeteu-se a vários concursos para professor da Faculdade. Depois de alguns insucessos conseguiu ser classificado em primeiro lugar e nomeado substituto por decreto de 20 de setembro de 1879. Dotado de grande facilidade para falar, Rubino de Oliveira ocupou interinamente várias cadeiras até 1882, data em que assumiu a cátedra de Direito Administrativo. Nesse cargo se conservou por alguns anos, vindo a falecer em 4 de agosto de 1891.

O logradouro começa no cruzamento com a avenida Celso Garcia e termina no encontro das ruas Xavantes e Oriente. Foi oficializado pelo Ato 972 de 24 de agosto de 1916.

                       

É Natal, é Bauducco!!

Origem no Brás há 64 anos

O italiano Carlo Bauducco chegou ao Brasil em 1948, vindo de Turim, trazendo uma receita de família e um precioso pedaço da massa viva, que daria origem aos famosos Panettones Bauducco.

Em 1952, surge a primeira Doceira no Brás, mais precisamente na rua Rubino de Oliveira, 58 – onde se encontra atualmente a Loja de Fábrica. Pai, mãe e filho cuidando com carinho dos negócios. Dona Margherita ficava na administração e Luigi, ajudava o pai, Sr. Carlo nas vendas e produção dos panettones. Com o fim da lei que obrigava estrangeiros a terem sócios brasileiros, a família finalmente pode abrir sua própria doceira no bairro do Brás. No mesmo ano, nasce o panettone com o nome e a marca Bauducco. As vendas passaram a crescer dia a dia e a receita Bauducco do bolo com uvas passas e frutas cristalizadas ganhou a preferência na mesa das famílias brasileiras.

1962 - Fábrica em Guarulhos

Com tantos pedidos vindos de todo o País, era hora de aumentar a produção. Em 1962, a Bauducco inaugura sua primeira fábrica em Guarulhos. Em 1965, a empresa cria a primeira embalagem em caixinha, um sucesso até os dias de hoje. Atualmente a Bauducco comercializa mais de 100 produtos, exportando para vários países.

 

 

Image

 

 

 

Início da Rubino de Oliveira na esquina com a Celso Garcia

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

Loja de Fábrica da Bauducco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

1952, o fundador Carlo Bauducco e esposa Margherita

 

 

 

 

 

 

 

 

Image

 

 

 

 

1º Panettone embalado em 1965

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!