hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 303 seta Orgulho olímpico
21-Fev-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 381 - 2ª quinzena de fevereiro/2020
Image                                  

Jornal do Belém Ed 1 - 20/01/2020
Image
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7348154
Flash de Notícias

A partir de agora estarão disponiveis para downloads as Edições do Jornal do Brás e do Jornal do Belém em pdf, para que o internauta leia na íntegra os nossos jornais. Entre na seção de Edições Jornal do Brás e Edições Jornal do Belém do menu principal.

Caso não tenha um leitor de PDF, entre em www.adobe.com e baixe a última versão do Adobe Reader.

Webmaster

 
Orgulho olímpico PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
19-Set-2016
Image

José Renato Nalini

Tempos de Olimpíada poderiam inspirar os brasileiros a procurar outros pódios. Que tal a Olimpíada do zelo pela coisa pública, patrimônio de todos e custeado com o dinheiro do povo? Começaria com a limpeza das ruas, dos parques, das praças, de tudo aquilo que hoje é objeto de negligência ou até mesmo de maus tratos. A Olimpíada de uma recuperação dos espaços deteriorados, que eliminasse a irracional produção de resíduos, evidência de uma completa ausência de educação cívica. Não se consegue dar conta do lixo produzido em todos os lugares. Do descaso com que se arremessa à rua todo e qualquer detrito e testemunho de nossa irracionalidade.

O abandono do espaço coletivo agride, gera o mal-estar que a todos acomete, pois o ser humano tende a encontrar equilíbrio nos ambientes harmônicos, limpos e condignos com a espécie que se vangloria de ser a única racional dentre os seres vivos. Depois uma Olimpíada cuja urgência é manifesta: a polidez. Onde foi parar a civilidade? Onde os bons modos? Onde a cordialidade, a boa educação de berço, a empatia, a receptividade? Embrutecemo-nos porque a sujeira nos agride ou sujamos todos os lugares porque nos embrutecemos? Já fomos melhores. São Paulo foi uma cidade civilizada e orgulhosa de suas paisagens. Possuía parques e jardins que eram cenários de cartões postais. Hoje, só é possível fotografar à distância ou mediante uso de artifícios para disfarçar a feiura, a sujeira, o monturo, o descuido.

É muito triste exercitar a imaginação e tentar prever qual a impressão de alguém que nos visita. Viajante que integra uma civilização compatível com o atual estágio do desenvolvimento humano, o que pensará de nós ao observar o que se fez desta capital. A crueldade com que se trata a paisagem depõe contra todos. Não é possível conviver com tantos atestados de desleixo, de desprezo em relação à aquilo que se construiu com padrões de beleza, da verdadeira perversidade que sequer consegue se indignar com a sordidez e o depauperamento de nossos espaços. Essa a Olimpíada mais importante. A retomada do orgulho de sermos civilizados e não figurantes de um cenário Blade Runner.

 

Desembargador José Renato Nalini é ex-presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e atual secretário estadual de Educação.

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!