hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 247 seta Subprefeituras em xeque
26-Fev-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 381 - 2ª quinzena de fevereiro/2020
Image                                  

Jornal do Belém Ed 1 - 20/01/2020
Image
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7370021
Flash de Notícias

Prezados Amigos,
Prezadas Amigas,


Permitimo-nos apresentar para sua apreciação, a primeira edição do Jornal do Belém, de portas abertas e páginas abertas à disposição dos moradores da região, empresários, autoridades, lideranças comunitárias e simpatizantes, com a mesma dedicação dos mais de 30 anos de nosso Jornal do Brás.
Ao ensejo, rogamos seu incentivo para essa nova bandeira da Região Brás/Belém.

Abraço Fraterno,
Milton George

 


 
Subprefeituras em xeque PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
07-Abr-2014
Image


Andrea Matarazzo

 

O atual momento vivido pelas subprefeituras é preocupante. São muitas as queixas de munícipes e entidades de bairro em relação à qualidade dos serviços prestados como tapa-buraco, recapeamento, poda de árvores, limpeza urbana e abandono da fiscalização da Lei Cidade Limpa.

A cidade de São Paulo, com seus 96 distritos que cobrem uma área de 1.532 quilômetros quadrados, não tem como ser administrada a não ser a partir das subprefeituras. Todo e qualquer político engajado com o dia a dia de uma metrópole que vive intensamente 24 horas por dia sabe disso, inclusive os integrantes do primeiro escalão do governo Fernando Haddad (PT) já que as subprefeituras existem desde 2002.

Curiosamente, a atual gestão ainda patina em relação à estrutura das subprefeituras. No diálogo com comunidades engajadas é possível encontrar fatores que contribuem para essa fragilidade administrativa. O principal deles é que os subprefeitos indicados, nem sempre com perfil adequado, não tiveram a liberdade de escolher seus principais assessores. Relatos de munícipes nos mostram subprefeituras sem equipes de trabalho coesas e subprefeitos muitas vezes comparecendo a importantes eventos e reuniões sem contar com a companhia de algum membro de seus gabinetes.

Passados 12 anos da sanção da Lei 13.399/2002 que criou as subprefeituras, cidade já acumula experiência suficiente que aponta para um modelo de gestão de fato, descentralizado, exceto em duas áreas do Executivo: Saúde e Educação. Percebi isso quando atuei na administração municipal, como subprefeito, secretário de Serviços e secretário das Subprefeituras.

Esse modelo, com comandos descentralizados, implica na indicação de verdadeiros gestores nas vestes de subprefeitos. Estes devem ter talento administrativo, conhecer a máquina pública e afinidade com a região onde atuam. Devem ser os olhos e as mãos do prefeito localmente e ter, não só autonomia administrativa, em sintonia com as diretrizes de governo, mas sobretudo recursos financeiros que façam frente aos desafios de realizar a gestão da cidade a partir dos territórios das 32 subprefeituras.   

 

Andrea Matarazzo é vereador pelo PSDB em São Paulo.

 



 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!