hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias Jornal do Brás seta Edição 245 seta Cidade Limpa: a lei abandonada
18-Fev-2020
 
 
Menu Principal
Início
Edições Jornal do Brás
Notícias Jornal do Brás
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Aniversário do Brás
Revista O Brazinha
Edições Jornal do Belém
EDIÇÃO 380 - 1ª quinzena de fevereiro/2020
Image                                 

Jornal do Belém Ed 1 - 20/01/2020
Image
Redes Sociais
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 7332121
Flash de Notícias

Prezados Amigos,
Prezadas Amigas,


Permitimo-nos apresentar para sua apreciação, a primeira edição do Jornal do Belém, de portas abertas e páginas abertas à disposição dos moradores da região, empresários, autoridades, lideranças comunitárias e simpatizantes, com a mesma dedicação dos mais de 30 anos de nosso Jornal do Brás.
Ao ensejo, rogamos seu incentivo para essa nova bandeira da Região Brás/Belém.

Abraço Fraterno,
Milton George

 


 
Cidade Limpa: a lei abandonada PDF
Classificação: / 0
FracoBom 
21-Fev-2014
Image


Andrea Matarazzo*

 

É uma pena a Prefeitura afrouxar as regras da Lei Cidade Limpa, uma conquista de todos os paulistanos. Hoje vemos a cidade novamente coberta de banners e faixas, antes permitidas apenas para a CET dar informações do trânsito. Em vigor desde 2007, a lei - aprovada por 90% da população - vive a decadência na atual administração, tanto na fiscalização como na questão conceitual.

Com a proximidade do carnaval, por exemplo, foi liberada publicidade na parte externa no Sambódromo. A Liga das Escolas de Samba poderá comercializar, por 27 dias, a instalação de faixas e painéis iluminados. O argumento para driblar a lei foi o da necessidade de angariar recursos para cobrir as despesas. Acontece, porém, que as escolas já recebem recursos da Prefeitura e utilizam espaço público. Além disso, ao criar o precedente, abre caminho para que outros setores reivindiquem vantagens semelhantes.

Preocupante, também, é o relaxamento da fiscalização da poluição visual em São Paulo. Foram aplicadas, de janeiro a agosto do ano passado, 226 multas por desobediência, um número muito menor do que os 2.265 referentes ao mesmo período de 2012.

Tenho ouvido muitas críticas sobre faixas afixadas pela Prefeitura informando, por exemplo, que tal lugar alaga durante as chuvas. Além do desrespeito à lei, mostra o estilo do PT de resolver o problema: em vez de trabalhar para não haver mais inundação, estende uma faixa avisando que aquele local alaga. Seria cômico se não fosse trágico.

No dia a dia percebe-se que São Paulo está desorganizada e até abandonada. Muros e ruas sujos, sem limpeza de praças e parques, iluminação precária. O mato toma conta das áreas verdes. A paisagem urbana está abarrotada de placas com anúncios e preços. Da periferia ao centro, há faixas e cartazes nos postes. A poluição visual compromete a informação e enfeia a cidade. São Paulo está andando para trás.

 

* Andrea Matarazzo é vereador em São Paulo.



 

 

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!