hostconect.net
Jornal do Brás Advertisement
Início seta Notícias seta Edição 229 seta 30 de Maio lembra Celso Garcia
19-Dez-2018
 
 
Menu Principal
Início
Edições
Notícias
Expediente
Links
Contato
Procurar
A História do Jornal
Jornalista Edu Martellotta
Cadastro de Empresas
Onde estamos
Campanha de Assinaturas
Jornal "O Braz"
Revista O Brazinha
Aniversário do Brás
EDIÇÃO 354 - 1ª quinzena de dezembro/2018
Image      

Curta-nos, siga-nos
Image


Jornal do Brás

 

Image

 

Jornal do Brás

 

 

Image

 

Tarde de Chá

Estatísticas
Visitas: 5156394
Flash de Notícias

Caro Internauta, continuamos a disponibilizar nossas edições em PDF publicamente e para receber nossas novidades é só fazer o cadastro clicando aqui assim terá sempre avisado de nossos conteúdos e eventos.

 att,

 Equipe Jornal do Brás

 
30 de Maio lembra Celso Garcia PDF
Classificação: / 4
FracoBom 
17-Mai-2013
Image

Foi ele quem criou o bonde para operários nos idos de 1905

 

Eduardo Cedeño Martellotta

Afonso Celso Garcia da Luz, jornalista, advogado e vereador, dá origem à avenida Celso Garcia, importante corredor que liga o Brás à zona leste.

Celso Garcia nasceu em 1869, e formou-se em Direito pela Faculdade de São Paulo, em 1895.

Como jornalista, atuou nos veículos “Gazeta do Povo”, “A Platéa”, “Diário da Tarde”, “A Nação”, “O Tempo”, “O Estado de S.Paulo” e “Correio de S.Paulo”.

Foi eleito vereador, para a 5ª legislatura da Câmara Municipal de São Paulo, no período de 7 de janeiro de 1905 a 15 de janeiro de 1908, sendo reeleito para a 6ª legislatura, com 490 votos, para o período de 15 de janeiro de 1908 a 15 de janeiro de 1911. Na Câmara, Celso Garcia foi membro da Comissão de Higiene e Saúde Pública, de 7 de janeiro de 1906 a 15 de janeiro de 1908, além de membro da Comissão de Justiça e Polícia, de 15 de janeiro de 1908 a 30 de maio de 1908.

 

Defensor dos Operários e inundações

Uma das importantes contribuições de Celso Garcia foi a criação dos bondes especiais para operários, além de instituir o passe escolar nas linhas de bondes elétricos, estabelecer horários para o funcionamento de casas comerciais e lutar pela solução do problema das inundações dos bairros ribeirinhos.

Com uma visão profunda dos problemas de São Paulo, Celso Garcia foi grande amigo e defensor das classes operárias, entre as quais conquistou simpatias. Ele faleceu em 30 de maio de 1908, aos 39 anos de idade, não cumprindo o mandato de sua reeleição.

A atual avenida Celso Garcia foi instituída pela Lei 1.086 de 15 de junho de 1908, quinze dias após sua morte. O lugar já foi chamado de Estrada da Penha, Caminho do José Brás e Avenida da Intendência, sendo após av. Celso Garcia em homenagem ao notável homem público.

 

Novo Cenário

A avenida viveu, outrora, grande esplendor da aristocracia paulistana, com seus luxuosos cinemas, salões de barbeiro, lojas de nome como Garbo, Móveis Brasil e Pirani, em cujo andar superior vibrava o soberbo Clube Independência com seu tapete vermelho, além de outros tantos patrimônios.

Atualmente a avenida mantém as tradições, ainda com alguns prédios de seu passado, realçando em seu corredor importantes agências bancárias, como Itaú, Bradesco, Caixa e Banco do Brasil, como franca chancela de retaguarda financeira às empresas e pessoas físicas. Ostenta, sobretudo, inúmeras igrejas das mais variadas religiões, louvando o Brás como Bairro da Fé.

 

Image

 

 

A avenida Celso Garcia começa no Brás, esquina com a rua Dr Ricardo Gonçalves, onde tem atualmente uma nova agência Bradesco

 

 

 

 

Image

 

 

Na esquina com a av. João Boemer, será o Templo de Salomão

 

 

 

 

Image

 

 

Aqui funcionava a antiga loja Pirani, glamour do Brás nos anos 50 e 60. Em cima, ficava o Clube Independência

 

 

 

Image

 

 

A Celso Garcia ainda mantém prédios antigos, como este de 1923

 
< Anterior   Próximo >
 
Top! Top!